Emissão Filatélica Falcoaria

Este slideshow necessita de JavaScript.

No dia 23 de Março de 2013 os CTT dedicaram uma emissão filatélica à Falcoaria. Esta é a segunda vez que esta arte é agraciada com uma emissão, sendo que a primeira ocorreu em 1994.

Esta emissão foi composta por 4 selos e um bloco, tendo uma tiragem de mais de meio milhão de exemplares. Os quatro selos que compõem a série reproduzem aves de presa utilizadas em falcoaria e algum do equipamento mais utilizado nesta arte.

O selo de N20g, destinado ao correio doméstico, apresenta um Falcão-peregrino e o característico caparão. O selo A20g, destinado ao correio azul, é ilustrado com um Açor e um bornal de caça. O selo com o porte de E20g, destinado para o correio para a Europa, apresenta o Gavião e um rol. Por último, o selo com o porte de I20g, para o correio internacional, reproduz a Águia-real e uma luva de falcoaria.

Já o bloco que inclui um selo de 1,50 euros é ilustrado com o edifício da Falcoaria Real de Salvaterra de Magos.


A emissão completa-se da pagela, envelope e carimbo de primeiro dia de emissão.
Como refere Carlos Crespo na pagela divulgadora da emissão:

“Em Portugal, a falcoaria floresceu desde a primeira dinastia, sendo considerada a mais nobre de entre todas as modalidades de caça… Hoje em dia assiste-se a um crescente interesse pela falcoaria, atualmente considerada uma modalidade de caça extraordinária e “ecológica”. A falcoaria moderna está dotada de sólidas bases técnicas e conhecimentos científicos. São atribuídos aos falcoeiros os progressos verificados nas últimas décadas relativamente ao conhecimento das aves de rapina e sua conservação. As espécies utilizadas neste desporto são reproduzidas em cativeiro para esta finalidade e a sua detenção e comércio está regulamentada por disposições nacionais e convenções internacionais. Em Portugal, os praticantes da modalidade estão representados pela Associação Portuguesa de Falcoaria.”

O lançamento desta emissão ocorreu no emblemático edifício da Falcoaria de Salvaterra de Magos. Este edifício construído no séc. XVIII, de arquitectura pombalina, sofreu em 2009 obras de recuperação efetuadas pela Câmara Municipal de Salvaterra de Magos, constituindo um exemplar único na Península Ibérica.

Para o lançamento da nova emissão, os Correios editaram um carimbo de primeiro dia especial de Salvaterra de Magos.

Proponha uma correção ou melhoria: apfalcoaria@gmail.com

Procure também

Mosaico Romano de Mértola

Denominação – Mosaico Romana de Mértola Descrição – Mosaico romano com a representação de um falcoeiro …